Imprensa alemã diz que Maria Luís pediu dureza a Schäuble

Ministra das Finanças garante que não pediu para alterar nem "uma vírgula". PS acusa governo de caminhar contra Atenas.

A maioria deixou para a ministra das Finanças a missão de explicar o acordo no Eurogrupo e as acusações de que Portugal se colou à Alemanha e foi um entrave às pretensões dos gregos. O pacto de silêncio dos membros do governo foi cumprido e Maria Luís Albuquerque foi à TVI com um discurso de pacificação. "Ganhámos todos, em particular a Grécia", disse, para sublinhar em seguida: "Não sugeri a alteração de uma única vírgula ao acordo."

A imprensa alemã conta outra versão. Citando "círculos informados", o Die Welt diz que Maria Luís "terá pedido pessoalmente a Schäuble para se manter duro com a Grécia". E explica que o ministro alemão foi "uma espécie de voz dos governos" que tiveram de impor pacotes de austeridade e vivem com essa limitação há tanto tempo, que "se mostraram pouco compreensivos em relação a um recuo da Grécia". "Estão a pedir-nos, em nome da soberania grega, para subir os salários dos funcionários públicos na Grécia em vez de levantarem o nosso bloqueio?", tweetou Yoram Gutgeld, conselheiro económico do primeiro-ministro italiano, Matteo Renzi. Ainda segundo o Die Welt, no final das negociações, "já não era sobre o acordo que se discutia no Eurogrupo, mas antes sobre os desejos de Portugal e Espanha de que o acordo fosse endurecido".

Leia mais na edição impressa ou no e-paper do DN

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG