"Hoje é o dia zero para correr com este Governo"

O coordenador do Bloco de Esquerda afirmou que "hoje é o dia zero para correr com este Governo" e apelou "às grandes mobilizações de multidões" contra uma política de austeridade que "empobrece o país dia após dia".

"Hoje vai ser o dia zero para correr com este Governo. Este Governo deve ser demitido, deve ser posto de lado", referiu Francisco Louçã, durante um almoço com militantes em Guimarães.

Referindo-se às manifestações que hoje se vão realizar em 40 cidades portuguesas, sob o lema "Que se lixe a troika", Louçã disse que se trata "da luta pela justiça", de um povo que "com orgulho, se levanta pelo seu país".

O líder bloquista apelou a todas as formas de luta para "correr" com o atual Governo, sublinhando ser tempo de apresentar uma moção de censura e de uma greve geral "que possa juntar todos".

Louçã mostrou-se particularmente crítico em relação às alterações na taxa social única (TSU), classificando-a mesmo como "a ideia mais extravagante" do Governo liderado por Pedro Passos Coelho.

"Nenhum país do mundo se atreveu a dizer que um mês do salário sai do bolso do trabalhador para o bolso do patrão", referiu.

Acrescentou que os dois últimos anúncios de medidas de austeridade feitos pelo primeiro-ministro e pelo ministro das Finanças "ainda não completaram o cardápio das iniciativas de aumento de impostos para 2012".

"Ainda não disseram onde vão continuar a aumentar os impostos já este ano. Faltam mais de 2 mil milhões de euros que vão ser tirados aos de sempre. No privilégio ninguém toca", acusou.

Desafiou toda a esquerda a "ter a coragem de romper com o memorando da troika", que apenas contribui "para o empobrecimento de Portugal dia após dia".

"A troika não pode continuar a atuar em Portugal como tem feito. Romper é o princípio da sensatez", afirmou.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG