Helicópteros 'Puma' sem compradores

O Ministério da Defesa anulou o concurso internacional de venda dos helicópteros Puma que a Força Aérea desativou há alguns anos, segundo um despacho publicado esta segunda-feira em Diário da República

"Foram recebidas manifestações de interesse" por diversas entidades, mas "não tendo sido recebida nenhuma proposta", José Pedro Aguiar -Branco fez anular o concurso internacional para a venda de oito 'Puma' e material sobresselente.

O concurso foi publicado em março e com um prazo de dois meses para entrega de propostas, sendo "o preço mais elevado por lote" o critério de adjudicação estabelecido.

Em dezembro de 2011, Aguiar-Branco disse estarem em curso negociações com o INEM para operar os 'Puma', as quais estavam "em muito bom andamento" e permitiriam "fazer o mesmo, gastando menos".

"Hoje em dia é exigível que assim se faça", frisou então o ministro da Defesa.

A Força Aérea substituiu os 'Puma', do tempo da guerra colonial, pelos novos 'EH-101' em meados da década passada. Contudo, problemas logísticos relacionados com a nova frota levaram o ramo a reativar quatro dos velhos helicópteros em 2008 durante alguns meses.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG