Helena Roseta "disponível" para as presidenciais - "mas não tenho dinheiro"

A autarca diz que há "desigualdade fatal" nas presidenciais entre candidatos independentes e candidatos apoiados por partidos.

A causa é de sempre: a igualdade entre homens e mulheres. Em nome dessa causa, Helena Roseta até admitiria ser candidata presidencial. Mas há um problema: "Não tenho dinheiro."

Numa entrevista que o DN publicará na íntegra amanhã, a presidente da Assembleia Municipal de Lisboa afirma que "gostaria muito de contribuir para que houvesse não uma mas várias mulheres candidatas à Presidência da República. Não me importaria nada de ser [candidata] mas para este efeito apenas...de número...".

Ou, dito de outra forma: "Não me importaria de ser e estaria disponível para ser [candidata] porque tenho mais de 35 anos - coisa que nem todas as mulheres gostam de dizer mas que digo à vontade. Tenho um percurso politico conhecido, não tenho propriamente grandes telhados de vidro, e tenho experiência politica, posso não ter experiência governativa mas tenho política."

Contudo, acrescenta, há uma "desigualdade fatal" num sistema de financiamento das campanhas onde se caminha para que "na politica só estejam os ricos ou os corruptos": os candidatos presidenciais independentes não beneficiam de financiamentos partidários, ao contrário do que acontece com os candidatos apoiados por partidos, que os financiam.

Leia mais na edição impressa e no e-paper do DN

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG