Há "necessidade imperiosa de aprofundar o diálogo e a concertação social"

O Presidente da República defendeu hoje que há uma "necessidade imperiosa de aprofundar o diálogo e a concertação social", e pediu "atos concretos e reais" às forças partidárias e parceiros sociais que demonstrem o patriotismo.

Durante a sessão comemorativa do Dia de Portugal, no grande auditório do Centro Cultural de Belém, em Lisboa, Cavaco Silva afirmou estar "plenamente consciente dos dramas daqueles que não têm emprego, das dificuldades dos jovens que aspiram a ter uma carreira, dos que não conseguem satisfazer as suas obrigações, dos pequenos empresários que se veem obrigados a diminuir ou mesmo a encerrar a sua atividade".

"Vivemos tempos difíceis. Estou também consciente da necessidade imperiosa de aprofundar o diálogo e a concertação social", acrescentou Presidente da República.

Cavaco Silva considerou que "não é tarefa fácil em alturas como esta", mas defendeu que "é justamente nestes momentos que a abertura ao diálogo tem de se concretizar em atos concretos e reais, em gestos que efetivamente demonstrem que, de parte a parte, existe uma atitude responsável e patriótica, seja entre as forças partidárias, seja entre os parceiros sociais".

Segundo o chefe de Estado, "há espaço para o debate com vista a uma orientação estratégica capaz de conciliar a imprescindível estabilidade financeira e o crescimento da economia e do emprego".

Antes, Cavaco Silva elogiou a reação dos portugueses às atuais dificuldades, considerando que "estão a dar provas de maturidade e de sabedoria", que "adaptaram os seus hábitos de consumo, muitas vezes combatendo o despesismo e o desperdício" e que "têm demonstrado, por outro lado, um admirável espírito cívico e de entreajuda perante o agravamento das situações de pobreza".

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG