"Há 4691 milhões de razões para dizer porque é que elogiou Dias Loureiro"

Porta-voz do BE diz que elogios de Passos Coelho ao ex-administrador da SLN são um "insulto ao país". Líder bloquista citou conclusões do inquérito ao BPN.

Os elogios de Pedro Passos Coelho a Dias Loureiro chegaram esta quarta-feira ao debate quinzenal, no Parlamento. Catarina Martins, porta-voz do BE, considerou um "insulto ao país e aos empresários honestos" o elogio do primeiro-ministro ao ex-administrador da Sociedade Lusa de Negócios (SLN), holding do BPN, na passada sexta-feira. E, em alusão ao buraco financeiro provocado pelo colapso do banco que foi nacionalizado, foi contundente: "Há 4691 milhões de razões para dizer porque é que achou por bem elogiar Dias Loureiro."

Passos defendeu-se com a ideia de que "não existe qualquer intervenção do governo na Justiça" e acrescentou, dirigindo-se à líder bloquista, que "não é com insinuações que se apagam quatro anos de total liberdade" na investigação criminal.

Mas Catarina Martins insistiu ao vincar que Dias Loureiro faz parte do "lóbi que afetou o país" e reforçou a tese ao afirmar que as palavras do primeiro-ministro "que reitera o apoio a exemplos" como o do ex-administrador da SLN confirmam que "o tempo da impunidade não acabou".

Antes, o chefe do governo apontara o antigo ministro de Cavaco Silva como exemplo de um empresário de sucesso, tal como fizera na sexta-feira. "É verdade que me encontrei com Dias Loureiro, e espero que ele não se sinta visado nem ultrapassado por eu ter suposto que - estou convencido que ele sabe - com o que viu no mundo e com a experiência que adquiriu, partindo de Aguiar da Beira, que não é por se viver no interior, que não podemos, graças às muitas renovações tecnológicas, graças a muito trabalho de transformação da economia portuguesa, vencer na vida e ter negócios bem-sucedidos", declarou.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG