Há mais ministérios a analisarem medidas eleitorais do PS, acusa Ferro

Líder parlamentar socialista considerou "extremamente grave" a situação, hoje noticiada pelo DN, da utilização de dirigentes públicos para analisarem o programa do PS. Na Justiça e na Economia, pelo menos.

Ferro Rodrigues denunciou esta sexta-feira que tinha chegado ao conhecimento do PS que a situação - hoje noticiada pelo DN, da utilização de dirigentes públicos a analisarem medidas eleitorais socialistas - é mais abrangente. É um facto "sem precedentes na história da democracia", que não se limita ao Ministério da Justiça. "Temos informações que aconteceu também noutros ministérios, como é o caso do Ministério da Economia", salientou o líder parlamentar do PS.

O ex-secretário geral socialista conclui que, desta forma, "há uma responsabilidade política ao mais alto nível", desafiando o primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, a dar "explicações sobre se deu esta orientação política", a qual, no seu entender, representa "o grau zero da democracia portuguesa".

Ferro Rodrigues avançou ainda que, ainda durante esta sexta-feira, o próprio secretário-geral socialista, António Costa, vai tomar uma posição sobre o assunto.

Questionada pelo DN, já fora do plenário, onde tinha assumido o erro do pedido feito pelo seu gabinete aos diretores gerais, Paula Teixeira da Cruz alegou desconhecer se tinha havido o mesmo procedimento em outros setores do Governo. "Não faço a menor ideia", asseverou.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG