Guilherme Silva: PSD nacional vai 'saborear' vitória na Madeira

O deputado e vice-presidente da Assembleia da República, Guilherme Silva, disse hoje que o PSD nacional teve uma preocupação "excessiva" em distinguir os planos de Estado e partidário e, assim, deu a impressão que não estava com o PSD-M.

"Esteve com uma preocupação que, do meu ponto de vista, se revelou excessiva de distinguir o plano de Estado do plano partidário e, aí, gerou-se uma certa ideia de que estaria acompanhando menos o PSD-M", comentou à Lusa.

"Mas eu penso que o resultado eleitoral, que vai ser uma vitória do PSD-M, vai ser também partilhado e saboreado pelo PSD nacional, pelo presidente do partido e por demais militantes com responsabilidades nacionais", disse.

Guilherme Silva referiu ainda que o PSD-M "está tranquilo" mas reconheceu que estas eleições legislativas regionais foram "violentas".

Ao falar à comunicação social na sede do PSD-M onde segue os resultados eleitorais, Guilherme Silva disse que esta "foi uma campanha muito violenta e virulenta em relação à Região Autónoma, ao PSD e ao dr Alberto João Jardim".

"Foi uma campanha sem precedentes, muitíssimo dura mas eu acho que estas coisas da chamada 'overdose', por vezes, têm efeitos perversos e acho que os madeirenses perceberam que é um ataque à Região e a eles próprios", adiantou.

"Vamos aguardar serenamente o resultado das eleições e acho que aqueles que se empenharam nessa hostilização e nessa falta à verdade e a esse atropelo de tudo e de todos vão ter uma lição", vaticinou.

"Estamos absolutamente serenos e tranquilos", concluiu.

O PSD-M governa a Região Autónoma da Madeira desde as primeiras eleições legislativas regionais de 1976 e Alberto João Jardim é o chefe do Governo Regional desde 18 de março de 1978.

Estas eleições foram marcadas pela revelação de que a dívida pública regional é de 6,3 mil milhões de euros, valor contrariado pelo Governo Regional que a coloca em 5,8 mil milhões de euros.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG