Governo vê com "tranquilidade" queda do PIB

Ministro da Presidência disse que queda se deve a fatores que não se vão prolongar pelo resto do ano.

"O que convém reter é a continuação do crescimento económico, e em linha com as previsões do Orçamento de Estado para 2014", afirmou Marques Guedes no final do Conselho de Ministros de hoje.

Marques Guedes disse que "a oscilação" registada no Produto Interno Bruto (PIB) no primeiro trimestre "deve-se, no ponto de vista do Governo, a fatores conhecidos como o encerramento da refinaria da Galp ou da AutoEuropa".

"Tudo matérias que não são repetidas para o resto do ano. É com toda a tranquilidade que vemos estes números" do PIB, divulgados hoje pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

Marques Guedes salientou que, neste momento, a Galp "já retomou o seu funcionamento normal" e que que "a alteração de circunstâncias é já manifesta", mas ressalvou que "a prudência não pode deixar de ser palavra de ordem" do Governo.

O ministro remeteu os jornalistas para o Ministério das Finanças no que respeita a "questões mais específicas" relativas ao PIB.

O PIB registou no primeiro trimestre deste ano, em termos homólogos, um aumento de 1,2% mas caiu 0,7% face ao trimestre anterior (de outubro a dezembro de 2013), de acordo com a estimativa rápida do INE.

O desempenho trimestral da economia ficou, assim, abaixo da média das estimativas dos analistas consultados pela Lusa, que previam que o PIB tivesse crescido cerca 0,4% no primeiro trimestre de 2014 face ao trimestre anterior.

Exclusivos