Governo "tenciona vender" o Banco Efisa

O Governo tem em curso um processo de venda do Banco Efisa (um dos ativos do grupo BPN ainda nas mãos do Estado) e "tenciona vendê-lo", disse hoje a secretária de Estado do Tesouro, Maria Luís Albuquerque.

Durante uma audiência perante a Comissão Parlamentar de Inquérito ao Banco Português de Negócios, que durou cinco horas e meia, Albuquerque foi questionada por deputados da oposição sobre propostas para alguns dos ativos do BPN que não foram englobados na reprivatização do banco.

Honório Novo, do PCP, mencionou especificamente as declarações da Abdool Vakil, ex-presidente do BPN e do Efisa.

Vakil disse esta manhã, também perante a mesma comissão parlamentar de inquérito, ter apresentado em 2009 uma proposta formal de recompra do Efisa por um valor até 15 milhões de euros. A proposta, acrescentou no entanto Vakil, foi ignorada pelas autoridades.

"Fui informada dessa proposta pelo próprio senhor Abdool Vakil. Não a tenho no meu gabinete, admito que possa existir nos arquivos da Parvalorem [uma das sociedades-veículo criadas para gerir os ativos tóxicos do BPN] ou se calhar ainda do BPN", respondeu a secretária de Estado.

"Foi-me dito que a dada altura havia um interessado no Banco Efisa, que consultou o processo mas,entretanto,desistiu", acrescentou a governante.

"Temos um processo de venda em curso, estamos convencidos de que vamos conseguir vender" o Efisa, disse ainda Albuquerque. "Falar em condições é completamente prematuro, o processo ainda está a decorrer."

No final de junho, Jorge Pessoa, administrador da Parvalorem, disse aos deputados que o Efisa está numa "situação de falência", e que o Estado terá dificuldades em "vender ou arranjar comprador que injete capital" no banco.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG