Governo tem "toda a confiança" na CMVM

O Governo disse hoje ter "toda a confiança" na Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) caso esta investigue eventuais ilegalidades na Oferta Pública de Aquisição (OPA) lançada pela Ángeles à Espírito Santo Saúde (ESS), como é noticiado.

"Essa matéria obviamente não diz respeito ao Governo, diz respeito aos reguladores dos mercados. Cabe à CMVM fazer a devida investigação para saber se o cumprimento da lei foi integralmente satisfeito ou não.

O Governo não interfere nessas matérias e obviamente tem toda a confiança no trabalho do regulador sobre esta matéria", disse o ministro da Presidência e dos Assuntos Parlamentares, Luís Marques Guedes.

O governante falava no 'briefing' que se seguiu à reunião de hoje do Conselho de Ministros, no dia em que o Diário Económico noticia que a CMVM "está a analisar as compras feitas pelo Grupo Ángeles e os seus administradores", adiantando que o "regulador financeiro está a avaliar se estas transações configuram abuso de informação privilegiada".

Na mesma linha, o jornal Público avança hoje também que a OPA da Ángeles sobre a ESS "pode conter o crime de abuso de informação privilegiada", porque "mesmo na véspera do anúncio da proposta de compra, [...] o grupo mexicano continuou a comprar ações da ESS".

As ações da Espírito Santo Saúde (ESS) estavam hoje de manhã a subir e já valem mais do que os 4,30 euros por título oferecidos pelo grupo mexicano Ángeles, no âmbito do anúncio da OPA.

Pelas 09:02, os títulos da ESS avançavam 1,52% para 4,34 euros, superando o valor oferecido pela Ángeles, que na terça-feira anunciou o lançamento de uma OPA voluntária sobre o capital da empresa portuguesa.

Os 4,30 euros que o grupo mexicano oferece por cada ação da ESS, incorporam um prémio de 9,05% por cada título, em relação ao último preço de negociação das ações de terça-feira (3,943 euros), avaliando a empresa em 410,8 milhões de euros.

A ESS entrou em bolsa a 12 de fevereiro, com um preço de 3,20 euros por ação. A Ángeles detém atualmente 6,97% da empresa portuguesa liderada por Isabel Vaz.

Na quarta-feira, a Ángeles divulgou ao mercado dois comunicados: o primeiro referia que o grupo mexicano e os seus presidente e vice-presidente tinham adquirido ações da empresa portuguesa entre 18 de julho e 14 de agosto, passando a deter uma participação de 3,32%; e o segundo dava conta da aquisição de um lote de 3.487.792 ações ordinárias representativa de 3,65% do capital social da ESS.

A ESS é dona, entre outros ativos, do Hospital da Luz, em Lisboa, e gere, em regime de Parceria Público-Privada, o Hospital de Loures.

A ESS é atualmente detida maioritariamente pela Rioforte, empresa do Grupo Espírito Santo (GES) que, a pedido da própria, se encontra sob gestão controlada pelo Tribunal do Comércio do Luxemburgo desde o dia 29 de julho de 2014.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG