Gaspar admite erros mas rejeita falhas no programa

O ministro das Finanças, Vítor Gaspar, admitiu hoje ter "amplo material" para aprender com os seus próprios erros mas não admite que o programa da 'troika' esteja a falhar.

"Tenho consequentemente amplo material para aprender com os meus próprios erros. Mas não é verdade que o programa esteja a falhar, o programa já assegurou a geração de capacidade de financiamento por parte da economia portuguesa, o programa já assegurou um ajustamento estrutural orçamental de grande dimensão, o programa assegurou o retomar do financiamento de mercado muito antes do que era previsto no programa", afirmou Vítor Gaspar.

O ministro, que respondia aos deputados durante o debate do Orçamento Retificativo que decorre hoje na Assembleia da República, justificou ainda as previsões mais negativas da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE), dizendo que "existem alguns problemas com essas previsões", como não incluírem as medidas do retificativo e as medidas de natureza fiscal apresentadas recentemente, não justificando no entanto a manutenção de um cenário macroeconómico ainda mais antigo que este.

Vítor Gaspar aproveitou ainda um tema lançado pela bancada do CDS-PP, que faz parte do Governo, para dizer que a alegada melhoria recente nas receitas do IRC se devem a medidas tomadas pelo Governo.

"Digo com prudência que a execução fiscal muito favorável de IRC que citei está aparentemente relacionada com a limitação à dedução dos prejuízos que foi decidida com o Orçamento do Estado para 2013, e com a criação da unidade de grandes contribuintes", disse.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG