Freitas do Amaral: Eleições locais têm sempre leitura nacional

O líder histórico do CDS, Diogo Freitas do Amaral, defendeu hoje que as eleições locais têm sempre uma leitura nacional e apostou numa vitória socialista nas autárquicas de domingo.

"São eleições locais e têm leituras locais. Também têm sempre uma leitura nacional, quer se queira ou não. Leitura nacional vão ter, agora se dessa leitura alguém vai querer tirar consequências práticas, essa é que é a grande dúvida", disse Diogo Freitas do Amaral.

Diogo Freitas do Amaral falava à agência Lusa à margem de um almoço da candidatura do CDS-PP à câmara de Oeiras, protagonizada pelo seu primo Paulo Freitas do Amaral.

Diogo Freitas do Amaral acredita que, se se registar uma "estrondosa derrota" do PSD e do CDS-PP e uma "vitória estrondosa" do PS "é muito provável que haja consequências" a nível nacional.

Sobre os resultados de domingo, o ex-ministro dos Negócios Estrangeiros de José Sócrates mostrou-se convencido de que haverá "uma taxa grande de abstenção" e que "globalmente o PS vai sair melhor destas eleições do que o PSD e o CDS".

"É norma que nas eleições autárquicas quem está no Governo saia penalizado. Tudo o que se disser para além disto é especulação. Vai depender da dimensão dos resultados e do significado de conjunto que só se pode saber depois de conhecer todos os resultados", sublinhou.

Sobre a disputa eleitoral em Oeiras, Diogo Freitas do Amaral destacou a importância de "uma votação expressiva" no candidato do CDS-PP.

"O PSD em Oeiras está dividido em duas listas e, quando o PSD se divide, só o CDS pode ajudar a unir", disse.

Por seu lado, Paulo Freitas do Amaral mostrou-se convencido que as eleições vão registar uma grande percentagem de abstencionistas e que os eleitores irão penalizar os partidos da coligação governamental, mas ressalvou que as pessoas responsabilizam também o Partido Socialista pela "atual conjuntura de medidas de austeridade".

Concorrem à Câmara de Oeiras Marcos Sá (PS), Francisco Moita Flores (PSD), Paulo Vistas (movimento Isaltino Oeiras Mais À Frente), Paulo Freitas do Amaral (CDS-PP), Daniel Branco (CDU), Carlos Gaivoto (BE), Richard Warrel (PAN) e Joaquim Manuel Ferreira (PCTP/MRPP).

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG