Fórum Manifesto admite tornar-se um partido político

Associação de que fazem parte os ex-bloquistas Ana Drago e Daniel Oliveira diz querer "fazer parte de uma solução" e admite convergências com os partidos de esquerda disponíveis.

"Sim, queremos fazer parte da solução." Foi desta forma que Daniel Oliveira, antigo militante do BE, admitiu esta quarta-feira que a associação Fórum Manifesto, que se desvinculou recentemente dos bloquistas, está disponível para integrar plataformas que incluam outros partidos e movimentos rumo a um eventual Governo de esquerda que "defenda o Estado Social, a escola e a saúde públicas".

Num apelo à convergência, feito na sessão pública "Compromisso e determinação - para uma governação decente", que decorreu na Casa da Imprensa, em Lisboa, o ex-dirigente bloquista disse que "os compromissos negoceiam-se com gente que pensa de forma diferente", ideia que José Reis, também membro do movimento, reiterou ao vincar que em vez de "cavar trincheiras" as forças de esquerda devem "construir pontes".

Por sua vez, Ana Drago destacou que a esquerda não pode "suster a respiração à espera que algo aconteça", defendendo a importância da "construção de compromissos, em diálogo, com todos".

Ora, nesses "todos", de acordo com as intervenções da tarde, incluem-se o PCP, o BE, o recém-criado LIVRE e até o PS, mas Ana Drago não fechou a porta a que a própria associação se formalize como partido e dispute eleições futuras. "Isto é a tentativa de assumir plataformas que tenham impacto concreto na vida das pessoas", afirmou a ex-deputada, que veiculou ainda a ideia que será necessário "ter a seriedade e humildade" para eventualmente "levar essa plataforma política perante o votos dos portugueses"

Daniel Oliveira encerrou a conferência ao revelar que em setembro o Fórum Manifesto vai "iniciar o processo" de diálogo com diversas forças políticas e sociais.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG