"Fez-se Abril" no Funchal e na Madeira

O recém-eleito presidente da Câmara Municipal do Funchal, Paulo Cafôfo, que encabeçou a coligação "Mudança", disse que no domingo "se fez Abril" e começou "um novo ciclo de esperança" para a região e o município.

"Hoje fez-se Abril no Funchal e é o primeiro dia de um novo ciclo de esperança para o Funchal e para a Madeira", declarou Paulo Cafôfo junto à sede de campanha, em ambiente de festa na capital madeirense, depois de a coligação (PS/BE/PND/MPT/PTP/PAN) ter derrotado o PSD, que sempre liderou a autarquia.

Segundo o candidato eleito, os funchalenses "fizeram a democracia acontecer na capital da Madeira" e "demonstraram o que é a cultura democrática".

"Esta é uma mudança tranquila para todos os funchalenses sem exceção", declarou Paulo Cafôfo, que referiu ter já "cumprimentado todos os adversários que passaram a ser parceiros para um novo Funchal".

O eleito sublinhou que esta candidatura foi "uma bandeira contra a frustração, o conformismo, a inibição e a autocensura".

"Somos todos nós um grito de esperança", sustentou o novo responsável camarário, considerando que a coligação "Mudança" fez "uma revolução tranquila, utilizando como arma a cidadania, as ideias, as propostas, a simplicidade e a humanidade".

"Não acreditamos no determinismo político e que tudo está decidido independentemente do que façamos. Acreditamos convictamente que os homens e mulheres podem mudar o mundo e agir sobre a sociedade buscando a sua transformação", acrescentou.

Paulo Cafôfo vai substituir o social-democrata Miguel Albuquerque na presidência de um município governado desde 1976 por maiorias absolutas do PSD.

A coligação "Mudança" obteve no domingo 21.102 votos (39,22%), elegendo cinco vereadores, o PSD alcançou 17.450 votos (32,43%) e viu a sua representação diminuída de sete para quatro elementos, enquanto o CDS e a CDU mantiveram cada um o lugar que tinham.

O PSD perdeu também nove das dez freguesias do Funchal para a "Mudança", ficando apenas com a de São Roque.

O líder regional do PS, partido que encabeçou esta coligação, Vítor Freitas, corroborou a posição do candidato eleito, mencionando que "esta reviravolta eleitoral na Madeira expressa uma mudança que os madeirenses desejavam".

Para o presidente do PS regional, a partir de agora "a Madeira passará a conviver em várias cores e o resultado representa uma grande derrota do PSD".

"A Madeira a partir de hoje é completamente diferente", concluiu.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG