Falta de dados seria para impedir 'acesso a arranjinhos'

Avelino Jesus considera legítima a suspeição face à sonegação de informação pedida.

Questionado directamente pelo deputado social-democrata Paula Batista Santos sobre se a existência de "arranjinhos" e "favorecimento de privados" nos contratos de PPP, Avelino Jesus considerou legítima a suspeição de que assim aconteça.

Com mais de duas horas de audição, o ex-membro da comissão de avaliação das PPP defendeu que "há pelo menos a suspeição que essas situações sejam reais face à dicifuldade na obtenção da informaçãoão, que deveria ser pública". E para ilustrar a dificuldade na obtenção de informação, o professor do ISEG assinalou a entrega de documentos a conta-gotas, com má vontade, tendo até recebido CD vazios.

"Até prova em contrário, tendo a suspeitar que o não fornecimento de informações a que eu assisti podem ter na base impedir-me que pudesse ter acesso a alguns desses arranjinhos. Não estou a ver que haja nesses contratos segredos de natureza comercial que eu não pudesse ver", afirmou.

Referiu ainda não ter nenhum caso para apresentar, "mas a sonegação de informação leva a levantar a suspeita que nos contratos existe alguma coisa que não convém ser visto".

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG