"Expressão de Soares não deve ser levada à letra"

A direção do PS decidiu não deixar passar sem resposta a crítica que ontem ouviu de Mário Soares: "Se [o partido] fosse um bocadinho mais ativo, tinha 90% [dos votos], dado o mal-estar social em Portugal."

"Julgo que a expressão do dr. Mário Soares não é para ser levada à letra", disse ao DN Eurico Brilhante Dias, membro do Secretariado Nacional do PS.

No seu entender, "o dr. Soares tem dado mostras que um ativismo cívico cada vez mais empenhado - o que é saudável". E, sendo assim, "é natural que queira ser acompanhado por todas as forças sociais e políticas que contestam o Governo nesse empenho reforçado".

Além do mais, acrescentou, "se há politico que nunca quis um País em que um partido tivesse 90%, esse político foi o dr. Mário Soares".

As relações entre Soares e a direção do PS liderada por António José Seguro azedaram por ocasião da negociação do chamado "compromisso de salvação nacional" proposto pelo Presidente da República - e que fez sentar à mesma mesa os socialistas com o PSD e o CDS.

Soares criticou a participação do PS na negociação e disse mesmo que se António José Seguro assinasse um acordo isso poderia causar uma cisão no partido. As negociações do "compromisso de salvação nacional" fracassaram.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG