Êxito de Portugal e da Irlanda pode contribuir para futuro do euro e da UE

O êxito de Portugal e da Irlanda na conclusão dos programas de ajustamento a que estão submetidos pode ser um "contributo decisivo" para o futuro do euro e da Europa, defendeu hoje o primeiro-ministro português.

"A Europa toda, bem como o mundo, estão com os olhos postos na forma como conseguimos cumprir e fechar esses programas", disse Pedro Passos Coelho numa conferência de imprensa conjunta com o seu homólogo irlandês, Enda Kenny.

Para o primeiro-ministro português, o êxito dos dois países no cumprimento dos programas de ajustamento pode ser "uma ponte muito importante entre diversas perspetivas" quanto ao futuro da moeda comum e da própria União Europeia.

"A maneira como conseguirmos fechar estes programas pode ser muito importante para criar um novo impulso e uma nova coesão e solidariedade no quadro europeu", acrescentou.

Enda Kenny, cujo país assegura neste semestre a presidência rotativa do conselho europeu, elogiou a "grande paciência" com que o povo de Portugal, como o da Irlanda, suportaram as consequências de "decisões muito difíceis".

"As pessoas são práticas e pragmáticas e compreendem que têm de ser tomadas decisões difíceis para corrigir a situação dos países", disse.

Kenny e Passos Coelho repetiram ambos, por outro lado, a importância de um acordo com o Parlamento Europeu sobre o orçamento europeu.

O primeiro-ministro irlandês afirmou esperar que um tal acordo seja fechado nas semanas que faltam para terminar a presidência (semestral) irlandesa e destacou a importância do quadro financeiro plurianual para a criação de emprego, designadamente emprego jovem.

Ambos os chefes de governo frisaram também, mais uma vez, a necessidade de se avançar na aplicação das decisões já tomadas pelo conselho europeu para a criação de uma união bancária.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG