Ex-grão mestre autossuspende-se mas volta em breve

O ex-grão-mestre da Grande Loja Legal de Portugal, José Manuel Anes, pediu a autosuspensão temporária da obediência para poder denunciar as intenções de Jorge Silva Carvalho, que acusou de ter utilizado instituições estatais em "benefício dos seus interesses pessoais e privados".

José Manuel Anes explicou ao DN que a suspensão foi "uma questão técnica" e que "através de carta" pediu a suspensão "para poder fazer declarações públicas sobre um membro da maçonaria, no sentido de defender a maçonaria e a Grande Loja Legal de Portugal (GLLP)".

O ex-grão-mestre não irá ficar, no entanto, muito tempo longe dos seus irmãos. "Sou eu que decido quando regresso à atividade maçónica e vou fazê-lo dentro de mais uns tempinhos", explicou ao DN José Manuel Anes.

Anes foi o padrinho de Jorge Silva Carvalho, mas há muito que se afastou do ex-diretor dos Serviços de Informações Estratégicas de Defesa (SIED). O "espião" está cada vez mais isolado na GLLP, onde vários irmãos pedem o seu afastamento - algo que a direção da obediência pondera, caso sejam provadas algumas acusações que são imputadas a Silva Carvalho.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG