"Este é o orçamento que dá a Lisboa a energia para recuperar da pandemia", diz Moedas

Em dia de apresentação do orçamento municipal para 2022, garantida pelo PS, o autarca de Lisboa considera o documento "um orçamento próximo, solidário e sustentável."

O orçamento municipal de Lisboa é apresentado esta quinta-feira, um dia depois de o PS anunciado a abstenção na votação. Numa comunicação enviada às redações, o autarca Carlos Moedas apresenta o orçamento como sendo "uma visão mais próxima, mais solidária, mais inovadora e mais sustentável".

Eleito em setembro de 2021, o executivo lisboeta prevê uma despesa de 1,16 mil milhões de euros para este ano, segundo o vice-presidente Filipe Anacoreta Correia. Para Carlos Moedas, "este é um orçamento com propostas concretas e determinantes para a cidade", com um foco nas pessoas, "com um plano de saúde para os mais velhos". Além disso, existe também um "aumento de 70% em apoios destinados às creches e à educação".

No documento, existe ainda a previsão de devolver mais de "sete milhões de euros em impostos" às famílias. Com uma "aposta no futuro", o orçamento municipal prevê também 40% de verbas para a mobilidade em Lisboa, "para tornar a cidade mais sustentável".

Em relação à habitação - onde serão investidos mais de 100 milhões de euros - Carlos Moedas considera esta área um "grande desafio da cidade" que precisa de ser resolvido.

Na opinião do autarca, "este é o orçamento que traz uma nova ambição para o futuro da cidade".

O primeiro orçamento municipal de Carlos Moedas será aprovado com a abstenção dos cinco vereadores do PS a viabilizar. Os outros vereadores eleitos pela coligação entre o movimento Cidadãos por Lisboa, PS e Livre vão votar contra o orçamento.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG