"Eleger um deputado não era o objetivo"

José Manuel Tengarrinha foi um dos primeiros apoiantes do Livre a chegar ao local de concentração, no bar Frágil, no Bairro Alto. Um apoio que Rui Tavares elogiou particularmente na hora de agradecer a quem participou na campanha. O historiador e fundador do MDP/CDE disse estar contente com os resultados do partido e que "eleger um deputado não era o objetivo".

"O objetivo era ter uma presença pública assinalável e a aceitação das propostas políticas do Livre tanto relativas à Europa, a renegociação da dívida, como relativamente ao sistema partidário português que são muito originais", justificou.

Tengarrinha diz ter encontrado no Livre uma lufada de ar fresco num panorama político com o qual estava desiludido. Considerou que, de alguma forma, os resultados destas eleições também demonstraram esse descontentamento, sobretudo no que diz respeito à abstenção, que subiu e é a maior de sempre.

"É óbvio que uma parte considerável do eleitorado não se reconhece nos partidos atuais, tal como já se tinha visto nas últimas eleições presidenciais. Os partidos não têm tido a capacidade de ser o eco da vontade pública, os partidos são bastante virados para dentro e as direções partidárias estão cada vez mais de costas para a massa eleitoral", criticou. Uma leitura que entende dever fazer, também, o PS, cujo resultado não considera ser uma "vitória estrondosa".

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG