"É muito mau para o País se o Governo chegar a 2015"

O ex-ministro socialista José Vieira da Silva acusa o Executivo de seguir uma política contrária aos consensos que existem em Portugal e de estar permanentemente a debilitar-se no debate europeu.

Diz que o País está "num impasse terrível" e espera que o Governo não chegue ao final da legislatura, porque tem tropeçado em todos os obstáculos que surgem pelo caminho.

Em entrevista ao Gente que Conta, programa de entrevistas conduzido por João Marcelino, diretor do DN, e Paulo Baldaia, diretor da TSF, Vieira da Silva, que foi responsável pela última grande reforma do sistema de Segurança Social, afirma que as medidas anunciadas por Passos Coelho na passada sexta-feira vão incidir diretamente nos rendimentos das famílias e penalizar sobretudo os pensionistas, contribuindo para o adensar da espiral recessiva.

Afirma que o pacote de medidas de estímulo ao crescimento, recentemente apresentado pelo ministro da Economia, não tem qualquer fiabilidade nem sequer viabilidade. Rejeita que o Governo esteja interessado em consensos porque, sublinha, os convites enviados ao PS para reunir não passam de encenações. Mas diz que o maior partido da oposição está unido em torno do líder, António José Seguro. E ainda que não esteja à procura do poder, o PS tem noção do "reforço da exigência em termos de responsabilidades a assumir" num momento como este que o País atravessa.

Leia mais no epaper do DN

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG