Duarte Freitas destaca "coragem" de Passos Coelho

O líder do PSD/Açores destacou hoje a "coragem" do primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, em "rasgar com o passado de irresponsabilidade e de imobilismo que mergulhou o país numa crise tremenda, condicionando o futuro e o Governo" atual.

"Nunca um primeiro-ministro teve uma herança tão má e nunca foi tão difícil governar. Mas esse é o desafio de uma geração, da nossa geração e das outras que vêm a seguir", afirmou Duarte Freitas, no encerramento do XX congresso do PSD/Açores, em Ponta Delgada.

Salientando que o partido a nível regional pode "não estar sempre de acordo", Duarte Freitas garantiu que vai "procurar sempre as melhores soluções" e agradeceu a presença do líder nacional, Pedro Passos Coelho, no encerramento da reunião magna do PSD/Açores.

"A sua presença confirma o apoio inequívoco do PSD nacional ao projeto autonómico e o apreço que tem pelo trabalho do PSD/Açores", frisou, acrescentando que a autonomia é para o partido na região "a resposta para construir o progresso das nove ilhas".

O líder do PSD/Açores lembrou que "não se pode deixar que a autonomia seja uma arma de arremesso, nem um instrumento de luta partidária".

"A autonomia não é um fim em si, é um meio para o nosso sucesso comum. É lutar para que a solidariedade exigida para fora seja confirmada cá dentro", sublinhou.

Perante um auditório cheio, em Ponta Delgada, Duarte Freitas dirigiu ainda o seu discurso para o presidente do Governo Regional dos Açores, prometendo cooperar com o executivo açoriano, liderado pelo socialista Vasco Cordeiro.

"Mais importante do que os partidos são os Açores e não será pelo PSD/Açores que não encontraremos soluções para as aflições de tantos açorianos", disse Duarte Freitas.

Antes, eram quatro as pessoas que aguardavam hoje, com cartazes e palavras de ordem, Pedro Passos Coelho, que chegou a pé com o líder do partido regional, Duarte Freitas, ao encerramento do congresso regional do PSD/Açores, em Ponta Delgada.

"O palhaço chegou. O circo está armado", gritou um jovem com nariz vermelho quando o líder nacional do PSD e primeiro-ministro chegou ao auditório Luís de Camões, para participar no encerramento do congresso.

No mesmo local estavam também três mulheres com cartazes, nos quais se podia ler "farta de carregar um Governo corrupto e vendido" e "Há dinheiro para resgatar bancos, não há para as famílias".

Pedro Passos Coelho, que chegou rodeado de seguranças, não prestou qualquer declaração à entrada, sendo recebido pelos militantes social-democratas com aplausos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG