Discurso de Passos "preocupante e desenquadrado"

A Associação Nacional de Sargentos (ANS) qualificou o discurso feito segunda-feira pelo primeiro-ministro, na visita ao Ministério da Defesa, como "preocupante e desenquadrado".

"Como é que se pode afirmar que 'chegou o momento da ação' quando o [secretário de Estado] em quem se delegaram as competências para tratar de matérias tão importantes para o normal funcionamento" das Forças Armadas "abandona o cargo e a substituta nomeada ainda não se encontrava empossada?", questionou a ANS.

Pedro Passos Coelho afirmou segunda-feira que "chegou o momento da ação" para concretizar, "no prazo de duas legislaturas", as reformas militares iniciadas em 1976.

Tendo o ex-secretário de Estado Paulo Braga Lino múltiplas competências delegadas, "não podemos deixar de manifestar a nossa preocupação face às questões sociais, assistenciais e socioprofissionais, que estão pendentes e em discussão", insistiu a ANS, num comunicado difundido na véspera do 25 de Abril.

"Importa saber que atraso aos processos em curso trará a substituição deste membro do Governo", desde logo "que prejuízos resultarão na assistência aos militares e famílias [e] que consequências terá para as carreiras dos militares" a demora da nova secretária de Estado da Defesa, Berta Cabral, em dominar os dossiers.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG