Dirigente do PS critica Isabel Moreira por pedir demissão de porta-voz

O dirigente socialista Miguel Teixeira criticou hoje a deputada Isabel Moreira por pedir a demissão do porta-voz do PS, afirmando que como "independente" devia exercer "qualitativamente o seu mandato" e não "comentar a vida interna do partido".

"O importante era que a deputada Isabel Moreira exercesse qualitativamente o seu mandato e não andasse a comentar a vida interna de um partido do qual nem sequer é militante", afirmou à agência Lusa este membro da comissão nacional do PS.

A deputada Isabel Moreira defendeu hoje a demissão do porta-voz do PS, devido aos comentários sobre os Governos de Sócrates, considerando que João Ribeiro "destrói" a "linha correta" de "união do partido" que tem seguido o secretário-geral.

"Eu digo isto não tanto por uma defesa de José Sócrates, porque ele não precisa, mas por uma defesa da linha correta, de união do grupo parlamentar, de união do partido, que vem sendo seguida por António José Seguro. Não pode ter um porta-voz que destrói a sua caminhada, que acho que tem sido tão positiva neste sentido. Cabe-lhe obviamente o julgamento, mas se fosse eu o secretário-geral, esta figura não teria outro destino que não a demissão", disse Isabel Moreira à Lusa.

A deputada independente da bancada do PS comentava assim uma posição assumida na rede social Facebook pelo porta-voz do PS, João Ribeiro.

Para Miguel Teixeira, ex-deputado e apoiante de António José Seguro quando se candidatou à liderança do partido, manifestou "enorme espanto" por estas declarações e considerou que "revelam bem" que Isabel Moreira "não é conhecedora da história do PS".

O dirigente socialista enalteceu a "história grande" de João Ribeiro "dentro do PS e na entrega à causa pública".

"Não vejo que a senhora deputada, na qualidade de independente, tenha a capacidade de colocar em questão um trabalho que o doutor João Ribeiro tem tido ao longo da história do PS", acrescentou.

Exclusivos

Premium

Liderança

Jill Ader: "As mulheres são mais propensas a minimizarem-se"

Jill Ader é a nova chairwoman da Egon Zehnder, a primeira mulher no cargo e a única numa grande empresa de busca de talentos e recursos. Tem, por isso, um ponto de vista extraordinário sobre o mundo - líderes, negócios, política e mulheres. Esteve em Portugal para um evento da companhia. E mostrou-o.