"Direções partidárias fraturaram a esquerda"

O cabeça de lista do LIVRE responsabiliza os líderes da esquerda pela eleição de Passos e Portas e diz que "ainda não entrou na cabeça" desses dirigentes que entendimentos "implicam muito esforço". O eurodeputado não descarta "ir a jogo" com PS, PCP ou BE nas legislativas e revela ainda que recebeu um convite dos socialistas.

Rui Tavares sublinha mesmo que "a esquerda está monopolizada" e presa a "tabus de décadas" e desafia aqueles que o criticam, bem como ao mais recente partido da democracia portuguesa, a explicarem como é que se constituiria um Governo sem o partido liderado por António José Seguro. Contudo, frisa que para as eleições de 25 de maio vai perguntar às pessoas o que será preferível: elegerem o décimo candidato do PS ou o candidato do LIVRE e vinca que quer "superar o memorando de entendimento" substituindo-o por um "memorando de desenvolvimento", com uma forte aposta comunitária na reconversão dos países, como Portugal, em que a crise se fez sentir de forma mais acentuada.

Leia mais pormenores no e-paper do DN

(A entrevista na íntegra será disponibilizada às 0:00 no site do DN)

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG