Direção do PSD prevê aprovação e entrega de listas de deputados antes do Congresso

Está previsto um Conselho Nacional a 7 de dezembro para aprovar as listas e a entrega de listas nos tribunais a 15 do mesmo mês, antes do Congresso do PSD. Rui Rio garante estar a cumprir os estatutos.

A direção do PSD aprovou um calendário de aprovação de listas de deputados que prevê a conclusão do processo antes do Congresso do partido, para "assegurar que as listas são entregues", de acordo com o secretário-geral.

Na segunda-feira, a Comissão Política Nacional liderada por Rui Rio - presidente do PSD e recandidato ao cargo nas diretas que disputará com Paul Rangel em 27 de novembro - aprovou um cronograma que prevê que as concelhias deem as suas indicações até 25 de novembro e as distritais até dia 30, com as negociações entre estas estruturas e a direção a decorrer até dia 6 de dezembro.

De acordo com o cronograma, noticiado pelo Expresso online e confirmado pela Lusa, está previsto um Conselho Nacional para 7 de dezembro para aprovar as listas (com uma segunda possível reunião deste órgão a 10 do mesmo mês, caso as listas sejam chumbadas na primeira), e a entrega de listas nos tribunais em 15 de dezembro, antes do Congresso do PSD marcado para entre 17 e 19 de dezembro.

"Este calendário só tem um objetivo: que haja listas entregues em tribunal no final do prazo [20 de dezembro]. A Comissão Política Nacional definiu um calendário, que cumpre os estatutos, para que nunca possa ser responsabilizada por falha na entrega de listas", justificou à Lusa o secretário-geral José Silvano.

"O que se possa passar a seguir isso e que perturbe o processo, não podemos ficar responsabilizados", acrescentou.

Questionado como se fará o processo, caso o líder eleito nas diretas não seja o atual presidente da CPN, Silvano respondeu que "vai ter de coexistir com os órgãos a quem compete entregar as listas no tribunal".

"A forma depois do dia 27 logo havemos de ver", afirmou.

Sobre a possibilidade de esse processo só ser finalizado no Congresso, José Silvano considerou ser impossível um secretário-geral eleito no domingo, 19 de dezembro, "na segunda [dia 20] conseguir ter poderes verificados no Tribunal e com procurações passadas".

"Isso é correr o risco de não ter listas", avisou.

De acordo com os estatutos do PSD, compete às comissões políticas distritais "propor à Comissão Política Nacional candidaturas à Assembleia da República, ouvidas as Assembleias Distritais e as Secções".

À CPN, compete "aprovar os critérios para a elaboração das listas de deputados à Assembleia da República, nos termos do regulamento", e ao Conselho Nacional aprovar as listas.

Rio diz estarem a ser cumpridos os estatutos

Rui Rio negou entretanto ter havido pressa na fixação do cronograma da aprovação de listas de deputados antes do congresso, dizendo estar a cumprir os estatutos.

"Não é pressa rigorosamente nenhuma, há o cumprimento de estatutos, pura e simplesmente isso", afirmou à margem de uma visita a uma empresa de calçado, em Felgueiras, no distrito do Porto.

Questionado hoje sobre se não havia tempo para a escolha dos deputados após as eleições internas, Rui Rio respondeu: "Nas empresas por onde passei, na função pública por onde passei não consegui nunca, no espaço de 24 horas, fazer listas de deputados, propor, depois aprovar, depois nomear os procuradores, depois pedir às pessoas o termo de aceitação e pedir fotocópia do cartão de cidadão".

O líder do PSD recusou-se a responder a mais questões sobre questões internas do partido.

Por seu turno, o candidato à liderança do PSD Paulo Rangel afirmou na segunda-feira não colocar "o carro à frente dos bois" e que "há tempo" depois das eleições internas para a liderança do PSD para fazer as "operações necessárias para as legislativas".

"Depois do dia 27 de novembro há, pelo menos, 23 dias, para preparar as listas [de candidatos a deputados à Assembleia da República]. Há tempo para pensar. Cada coisa em seu tempo. Não vamos pôr o carro à frente dos bois", declarou o candidato à chegada a uma sessão com militantes, em Viana do Castelo.

As eleições internas para a liderança do PSD estão marcadas para 27 de novembro.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG