Diplomata próximo do PS critica ideia para as Lajes do líder regional socialista

Embaixador Seixas da Costa diz compreender hipótese de alternativa chinesa "num quadro economicista", mas teria "consequências geopolíticas incompatíveis".

A possibilidade de se tentar uma alternativa chinesa ao recuo americano na Base das Lajes, defendida pelo presidente do governo regional dos Açores, Vasco Cordeiro, é tudo menos pacífica, incluindo dentro do seu partido, o PS.

"É muito claro: não podemos fazer nada que ponha em causa os nossos compromissos como aliados" dos EUA e da própria Aliança Atlântica, em cujo espaço se inserem as Lajes e as infraestruturas portuárias da ilha Terceira, afirma o embaixador Francisco Seixas da Costa, há muito um compagnon de route do PS (foi secretário de Estado dos Assuntos Europeus nos dois governos de Guterres, de outubro de 1995 a março de 2001).

Leia mais na edição impressa ou no e-paper do DN

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG