Decisão sobre saída pode ser tomada só em maio, diz ministra

A ministra das Finanças admitiu hoje em Bruxelas que a decisão do Governo sobre a forma de saída do programa de assistência seja tomada apenas em maio, apontando que não há qualquer data fixada com o Eurogrupo.

Maria Luís Albuquerque, que falava após uma primeira reunião dos ministros das Finanças da zona euro, hoje em Bruxelas, lembrou que "a data de conclusão (do programa) é 17 de maio", pelo que a decisão será "seguramente antes dessa data", mas indicou que poderá ser comunicada ao Eurogrupo tanto na reunião agendada para 01 e 02 de abril em Atenas, como na seguinte, que terá lugar em Bruxelas a 05 de maio.

"Mesmo com o Eurogrupo não temos nenhuma data fixada para tomar essa decisão. O que comunicámos foi que estamos a ponderar as várias hipóteses que estão em cima da mesa. Mas não temos nenhuma data firmada", disse, acrescentando que o Governo não assumiu "nenhum compromisso" de comunicar a sua decisão - sobre uma "saída limpa" ou com recurso a uma linha de crédito cautelar - na próxima reunião de Atenas, pois pode "não estar em condições de daqui a duas semanas ter já uma decisão tomada".

De qualquer modo, ressalvou, não parece ao Governo "indispensável ter que marcar essa data, nem o Eurogrupo se mostrou preocupado com uma eventual demora", desde que, obviamente, a decisão "esteja tomada antes da conclusão do programa".

No encontro de hoje, indicou, a discussão sobre Portugal foi um "ponto bastante rápido" da agenda, com a confirmação de que a 11.ª revisão, concluída a 28 de fevereiro, "correu bem", e, quanto aos "procedimentos remanescentes" para a conclusão do exame regular, disse que serão tratados ao nível meramente técnico, pelo que o 11.º exame não voltará a ser discutido em sede do Eurogrupo.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG