Costa apresenta "bases programáticas" ainda esta semana

António Costa anunciou hoje à noite que irá apresentar as "bases programáticas" da sua candidatura ao PS na sexta-feira, um dia depois da reunião da Comissão Política do partido que, em princípio, deverá acertar o calendário eleitoral interno.

Entrevistado na TVI, o autarca de Lisboa procurou insistentemente desvalorizar as questões estatutárias dentro do PS, sublinhando antes a "nova agenda" que quer para o PS - uma "nova agenda" que, no entanto, segundo garantiu, não irá "desperdiçar" o caminho já feito pela convenção "Novo Rumo" do PS (a qual apresentou, a meio da campanha europeia, as linhas gerais do futuro programa de Governo do PS).

Costa reiterou que tanto aceita eleições diretas para a liderança (com um universo eleitoral limitado aos militantes) como eleições primárias (com um universo eleitoral em que aos militantes do PS se somam simpatizantes). "Qualquer que seja o procedimento, lá estarei."

Contudo, em relação à eventual realização de primárias - proposta que António José Seguro avançou sábado -, sublinhou que as regras devem ser "claras, transparentes e democráticas".

Segundo explicou, o sua candidatura nasceu de um "sentido de serviço" para com o País e o PS - porque "a vida política não é um concurso de ambições".

Para o autarca, os eleitores disseram nas Europeias "não queremos este Governo" mas também que "não encontraram nenhuma alternativa a este Governo". Ou seja: com o resultado de Seguro nas Europeias transposto para as legislativas, haveria "um risco sério de bloqueio" na governação, mesmo havendo um acordo do PS com o PSD (e até com a eventual participação do CDS). Porque "um acordo entre fracos não faz um governo forte."

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG