Cortes no trânsito afetam marginal do Porto amanhã

A XXV Cimeira Luso-Espanhola, que na quarta-feira decorre na Alfândega do Porto, obriga ao corte total de trânsito na marginal, das 09:30 às 10:30, havendo ainda condicionamentos na zona do Palácio da Bolsa e em Gaia.

Em conferência de imprensa, o intendente Pedro Moura, chefe da Área Operacional do Comando Metropolitano da PSP do Porto, explicou hoje que "na marginal do Porto, entre o cruzamento com a rua da Restauração e o cruzamento com a rua Infante D. Henrique, o trânsito estará cortado totalmente entre as 09:30 e as 10:30, não circulando nem veículos automóveis nem elétricos".

As autoridades criaram um circuito alternativo.

"Após a chegada das comitivas e estando as reuniões da cimeira a decorrer, a nossa intenção é repor a circulação na sua normalidade para causar o menor número de transtornos possíveis", disse ainda Pedro Moura.

O responsável acrescentou que na zona do Palácio da Bolsa, aonde paralelamente vai decorrer a cimeira empresarial Luso-Espanhola, o trânsito será cortado cerca das 14:00, aquando da chegada da comitiva que integra os primeiros-ministros português e espanhol para o encerramento do mesmo encontro.

Do lado de Vila Nova de Gaia, e devido ao almoço oficial da cimeira nas Caves Taylor"s, o trânsito será totalmente cortado na rua do Choupelo e na rua D. Afonso III "a partir das 14:00 e até às 17:00".

Hoje, a PSP vai já fazer "limpeza de estacionamento" junto à Alfândega do Porto e na rua do Choupelo, em Vila Nova de Gaia.

Na zona da Alfândega do Porto, as forças policiais vão criar, na quarta-feira, um perímetro de segurança, com cerca de 530 metros em linha reta, tendo o chefe da Área Operacional do Comando Metropolitano da PSP do Porto explicado que este evento "tem um grau de ameaça médio".

"Para a preparação desta cimeira foram feitas várias reuniões e reconhecimentos. Estamos em coordenação quer com o protocolo de Estado, gabinete do primeiro-ministro, Câmara Municipal do Porto, Câmara Municipal de Gaia, Polícia Marítima. Vamos afetar todos os meios policiais que entendemos necessários para um evento desta natureza, que tem um grau de ameaça médio e que portanto não exige da nossa parte medidas excecionais de segurança para além do que o grau médio exige", explicou.

Segundo Pedro Moura, da PSP estarão "os meios do comando metropolitano da PSP do Porto, de todas as divisões territoriais, da divisão do aeroporto, da divisão de trânsito, corpo de intervenção, grupo operacional cinotécnico, corpo de segurança pessoal e da inativação de engenhos explosivos".

"Vamos ser reforçados com elementos da unidade especial de polícia de Lisboa, do corpo de segurança pessoal e do grupo de operações especiais", acrescentou o responsável.

Ao longo de pouco mais de seis horas, os chefes de Governo português e espanhol reúnem-se na quarta-feira na XXV Cimeira luso-espanhola, que irá incluir reuniões setoriais e um encontro do Conselho Luso-Espanhol de Segurança e Defesa (CLESD).

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG