Corrupção: PJ diz que há "insustentável" falta de meios

Mais de 90 investigadores subscreveram um abaixo-assinado a dizer que há uma "dramática" falta de meios materiais e humanos para a investigação deste crime.

Mais de 90 investigadores e quadros de chefia da Unidade Nacional de Combate à Corrupção (UNCC) da Polícia Judiciária (PJ) - a quase totalidade desta equipa, com 110 elementos - subscreveram um abaixo-assinado a dizer que há uma "dramática" falta de meios materiais e humanos para a investigação deste crime.

O documento, inédito na Judiciária, a que o DN teve acesso, foi entregue ontem à Procuradoria-Geral da República, à ministra da Justiça e ao diretor-nacional da PJ, que hoje vão ser os protagonistas de um encontro público, na sede desta polícia em Lisboa, dedicado, precisamente, ao dia mundial do combate à corrupção.

Contactado pelo DN, o diretor-nacional adjunto da PJ Pedro do Carmo afirma desconhecer o conteúdo do documento, mas garante: "A UNCC tem tido os meios adequados mas, naturalmente não são os ideais. Por isso mesmo, na próxima colocação dos 73 novos inspetores que terminaram agora o estágio, esta será a unidade mais reforçada". Além disso, diz, "pedimos à tutela a abertura de um concurso para 120 novos inspetores".

(Leia mais pormenores no e-paper do DN)

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG