Comissão aprova audição do secretário-geral do SIRP

A Comissão parlamentar de Defesa aprovou esta terça-feira as audições do secretário-geral do Sistema de Informações da República Portuguesa (SIRP) e do director-geral do Serviço de Informações Estratégicas de Defesa (SIED).

A iniciativa partiu do deputado socialista Marcos Perestrello (no caso do responsável do SIRP), a que se juntou a proposta do deputado João Rebelo (CDS) de também ouvir o director-geral do SIED, dado o papel deste serviço na recolha de informações sobre países onde há forças militares portuguesas destacadas.

O objetivo das audições visa perceber quais as consequências, sobre a actividade operacional dos serviços de informações, dos casos que envolvem o anterior responsável do SIED Jorge Silva Carvalho e que têm dominado a agenda política e mediática das últimas semanas.

O presidente da Comissão, José Matos Correia (PSD), fez questão de delimitar o âmbito das audições e se deveria realizar-se em conjunto com a Comissão de Assuntos Constitucionais (pois esta já o fez, centrando-se nas matérias de direitos, liberdades e garantias).

Aceites as audições daqueles responsáveis apenas pela Comissão de Defesa, dentro das suas competências, o deputado António Filipe (PCP) fez questão de afirmar: "Não [os] vamos ouvir e assobiar para o lado, mas confrontar com o que se tem passado."

Depois de o deputado Joaquim da Ponte (PSD) ter alertado para a conveniência de deixar "assentar alguma areia" antes de chamar aqueles responsáveis da área das informações, Matos Correia obteve a garantia de António Filipe de que a sua intervenção se cingirá às competências da Comissão de Defesa e não entrará nos domínios que pertencem à Comissão de Assuntos Constitucionais.

Exclusivos