Coligação de esquerda pede mudança. Marinho e Pinto faz primeiro teste

PS, PTP, MPT e PAN vão juntos às eleições da Madeira e querem ter "mais um voto" que o PSD. João Paulo Botas é a aposta do recém-formado PDR.

Feitas e refeitas as contas, a coligação "Mudança" vale 42,5% dos votos" dos madeirenses. É isso que Victor Freitas, líder do PS-Madeira, faz questão de notar ao DN, socorrendo-se dos resultados obtidos, a solo, pelos quatro partidos que a compõem nas europeias do ano passado. Isto porque o Tribunal Constitucional (TC) deu ontem luz verde ao entendimento que prevê a candidatura conjunta de PS, Partido Trabalhista Português (PTP), Movimento Partido da Terra (MPT) e Pessoas-Animais-Natureza (PAN).

Primeiro, os juízes do Palácio Ratton detetaram irregularidades - que diziam respeito ao PTP e ao PAN - na candidatura, mas ontem, último dia para entrega das listas, validaram o processo. Victor Freitas, que encabeça a lista, gostou e projetou a corrida à sucessão de Alberto João Jardim. "Vamos para ganhar, o objetivo é ter mais um voto que o PSD e constituir governo", referiu, antes de acusar Miguel Albuquerque, o novo líder regional dos sociais-democratas, de ser "mais neoliberal e mais à direita" que Pedro Passos Coelho.

Leia mais na edição impressa ou no e-paper do DN

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG