CGTP: "Só propaganda sem medidas concretas"

O secretário-geral da CGTP, Arménio Carlos, disse hoje aos jornalistas que "um bom serviço que o Governo prestava ao País" passa por "revogar já o acordo Crescimento, Competitividade e Emprego". Segundo o líder da central sindical esse compromisso não cria emprego algum.

O secretário-geral da CGTP considerou, hoje, que a iniciativa do Governo destinada à criação de emprego jovem é "uma manobra de propaganda" e exigiu a revogação do acordo de concertação social assinado a 18 de janeiro entre o Governo, as confederações patronais e a UGT.

Arménio Carlos falava aos jornalistas no encontro que Miguel Relvas mantém hoje com os parceiros sociais no sentido de encontrar soluções para o desemprego jovem.

"É uma manobra de propaganda pura e dura", afirmou Arménio Carlos no final de um encontro com o ministro Adjunto e dos Assuntos Parlamentares.

Se o Governo "quisesse resolver o problema a solução estaria no pleno emprego definido na estratégia Lisboa 2000", garantiu. "Aquilo que era um pressuposto da União Europeia está em retrocesso", acrescentou.

Mas o secretário-geral da CGTP fez questão de esclarecer que não foi apresentada "nenhuma proposta" por parte do Governo sobre "aquilo que pretende fazer" naquela área.

"Aquilo que fizemos foi apresentar as nossas propostas". Além delas a CGTP sublinhou "o reforço da protecção social e do apoio ao financiamento das micro e pequenas empresas.

Sobre as possíveis ideias do Governo, Arménio Carlos respondeu aos jornalistas com uma pergunta: "Que tipo de emprego é que querem criar?"

É que para o líder da Inter "se for precário não resolve problema nenhum".

Para a CGTP "a generalização da precariedade" é hipotecar o futuro das novas gerações. "Não podemos permitir que os nosso filhos tenham uma reforma miserável".

E para Arménio Carlos "a recessão económica prevista para este ano vai agravar o problema".

Miguel Relvas está reunido ao longo do dia hoje com os parceiros sociais para encontrar soluções e debater medidas concretas para o desemprego jovem.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG