CGTP não exclui avançar para nova greve geral

O secretário-geral da CGTP Intersindical afirmou hoje que a convocação de uma greve geral não está afastada face à decisão do Presidente da República e acrescentou que a direção vai debater formas de luta na terça-feira.

"Vamos reunir na terça-feira para analisar estas últimas declarações do Presidente da República e decidir as medidas de contestação para os próximos tempos", disse Arménio Carlos, respondendo, quando questionado pela Lusa sobre a possibilidade de convocação de uma greve geral, que "todas as formas de luta são passíveis de aplicar no momento mais adequado e nenhuma está excluída, por isso essa também não está".

Certo, garante o sindicalista, é que "o povo português não vai ficar passivo perante o que se está a passar", porque "o Presidente da República acabou de confirmar que os portugueses e a democracia são reféns da 'troika' e que a lógica de sacrifícios é para impor 'ad aeternum'".

Na prática, disse o secretário-geral da CGTP, Cavaco Silva "premiou quem devia ser punido", optando por manter em funções "um Governo que não tem legitimidade nem credibilidade moral ou política" para continuar.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG