CDU: "PS não tem coragem para dizer" que Portugal precisa de sair do euro

Jerónimo de Sousa acusou esta terça-feira o PS de "não ter coragem" para dizer que Portugal, "para ter futuro, tem de se libertar dos constrangimentos do euro".

O líder da CDU, que intervinha num comício em Samora Correia, disse que um dos dois cenários constantes do programa do PS e relativos ao euro admite a saída de Portugal da moeda única - mas "não tem coragem para dizer que, para ter futuro, o país tem que se libertar destes constrangimentos do euro".

Argumentando que Portugal, desde a entrada no euro, é um dos países que "menos cresce" na Europa e no mundo, Jerónimo de Sousa frisou: "A prazo, não temos outra alternativa senão libertar o país desses constrangimentos" da moeda única, "feita à medida dos interesses e das finaldiades da alta finança" e da Alemanha.

O secretário-geral do PCP rejeitou depois que os partidos que "meteram o país nesta aventura desastrada" do euro sejam os mesmos que "vêm acusar [os comunistas] da aventura da saída" da moeda única. O importante, sustentou, é que "não podemos nem devemos delegar um país empobrecido e dependente dos mandantes" às novas gerações.

Jerónimo de Sousa admitiu ainda que "possivelmente não vão ser precisos quatro anos" para se realizarem novas eleições legislativas em Portugal, quando os eleitos da CDU voltarão ao distrito de Santarém dizer a quem neles votou que "valeu a pena" por verem que as promessas foram cumpridas.

A CDU elegeu um deputado - António Filipe - por Santarém nas últimas legislativas e prevê manter esse resultado, apesar de esperar um aumento do número de votos nas eleições de 4 de outubro, admitiram fontes partidárias ao DN.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG