CDS: Pensionistas e funcionários públicos "vão ficar melhor"

O CDS-PP assinalou hoje a recuperação do poder de compra de pensionistas e funcionários públicos com as medidas propostas no Documento de Estratégia Orçamental (DEO), sublinhando que estes dois grupos "vão ficar melhor".

"Em relação a salários e a pensões é o recuperar de um poder de compra que tinha sido perdido", afirmou a deputada do CDS-PP Cecília Meireles, em declarações aos jornalistas no parlamento, num comentário ao DEO, que foi esta tarde apresentado pelo Governo.

O DEO alivia a contribuição extraordinária dos pensionistas, repõe 20 por cento dos cortes aplicados aos trabalhadores do setor público em 2015, mas agrava as contribuições para a Segurança Social em 0,2 pontos percentuais (para 11,2 por cento) e sobe a taxa máxima do IVA para 23,25 por cento.

Destacando as medidas que se irão aplicar aos pensionistas e aos funcionários públicos, Cecília Meireles considerou que irão representar uma melhoria na sua vida.

"Os pensionistas e os funcionários públicos vão ficar melhor, não vão ficar pior, vão ficar a receber mais do que recebem atualmente na sua generalidade, não vão ficar pior, não vão sequer ficar na mesma", disse.

Questionada sobre o aumento do IVA e o agravamento das contribuições para a segurança social, a deputada democrata-cristã defendeu que as medidas têm de ser olhadas como um todo, enfatizando que ficarão "integralmente consignados à segurança social".

Cecília Meireles destacou ainda o facto da Contribuição Extraordinária de Solidariedade (CES) - que "também é um imposto" - ir ser abolida.

"A CES era também ela um imposto e irá desaparecer", frisou.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG