CCP disponível para trabalhar com Governo para encontrar alternativas

João Vieira Lopes, presidente da Confederação do Comércio e Serviços, manifestou a Cavaco Silva a preocupação relativamente à medida da TSU, que considera "socialmente injusta".

O presidente da República esteve esta tarde reunido com os cinco parceiros que assinaram o acordo tripartido de concertação social durante cerca de hora e meia. No final do encontro, em declarações aos jornalistas, João Vieira Lopes manifestou especial preocupação com a medida que diz respeito à TSU (aumento da contribuição para os trabalhadores e diminuição para as empresas).

"Manifestámos essas preocupações ao presidente da República e mostrámos disponibilidade para colaborar com o Governo em novas alternativas. Achamos que o país precisa de medidas credíveis para que os credores internacionais continuem a acreditar num programa que pode ser discutível mas é necessário", afirmou, explicando que a CCP está a trabalhar num conjunto de propostas, quer individualmente quer com os parceiros sociais.

Questionado se o acordo de concertação social está em causa, João Vieira Lopes defendeu que essa é "uma questão irrelevante". "Se não for concretizado ele morre por si", justificou. Para o presidente da CPP, as medidas anunciadas "foram inesperadas" e "o governo deveria trocar mais impressões sobre estas medidas antes de as pôr em prática".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG