Cavaco Silva avisado: Madeira está sem "solução governativa"

Presidente já convocou partidos para audiências. Conselho de Estado deverá reunir em breve. Cavaco irá ouvir direções nacionais dos vários partidos, convocando em seguida eleições no prazo máximo de 60 dias

O representante da República para a Madeira, Ireneu Barreto, assumiu hoje perante o Presidente da República, no Palácio de Belém, que não há "solução governativa" no atual quadro parlamentar regional.

"Como sabem, o Presidente do Governo Regional (da Madeira) apresentou a sua demissão e eu ouvi os partidos representados na Assembleia Legislativa, tentando uma solução governativa para a região. Não consegui. Por isso, tive de vir apresentar este problema ao Presidente da República para que Sua Excelência tome as decisões que entender tomar", limitou-se a declarar, à saída.

O juiz conselheiro transmitiu a Cavaco Silva a informação recolhida nas audiências que manteve, quarta-feira e quinta-feira, com os responsáveis dos oito partidos com assento na Assembleia Legislativa da Madeira (ALM) na sequência do pedido de exoneração do cargo de presidente do Governo Regional, apresentado por Alberto João Jardim a 12 de janeiro (segunda-feira).

A decisão de Jardim colocou o cenário da realização de eleições legislativas regionais antecipadas na Madeira, tendo Ireneu Barreto procedido de imediato à auscultação dos oito partidos com assento no parlamento madeirense, que, na sua generalidade, defendem que este sufrágio se realize a 29 de março.

Depois de ser informado da posição das forças políticas da Madeira, Cavaco Silva terá de reunir o Conselho de Estado e ouvir as direções nacionais dos vários partidos representados na ALM, convocando em seguida as eleições antecipadas no prazo máximo de 60 dias.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG