Caso "Tecnoforma" ainda não tem suspeitos

A pedido do próprio Pedro Passos Coelho, Procuradoria confirmou que existem duas investigações à empresa a que o primeiro-ministro esteve ligado antes de assumir funções governativas

Em comunicado, a PGR refere que, em resposta a um pedido de esclarecimento de Pedro Passos Coelho, "correm termos dois inquéritos em segredo de justiça" às "atividades da empresa Tecnoforma".

Sublinha-se que as investigações, "não correm, até à data, contra pessoa determinada".

Acrescenta a PGR que um inquérito está a ser investigado pelo DIAP (Departamento de Investigação e Ação Penal) de Coimbra e que outro encontra-se no DCIAP (Departamento Central de Investigação e Ação Penal).

O esclarecimento pedido pelo chefe do governo surgiu na sequência de notícia do Correio da Manhã de quarta-feira, na qual se refere que o Ministério Público está a investigar alegados favorecimentos de Miguel Relvas à Tecnoforma, empresa onde Passos Coelho foi administrador e consultor.

Exclusivos

Premium

EUA

Elizabeth Warren tem um plano

Donald Trump continua com níveis baixos de aprovação nacional, mas capacidade muito elevada de manter a fidelidade republicana. A oportunidade para travar a reeleição do mais bizarro presidente que a história recente da América revelou existe: entre 55% e 60% dos eleitores garantem que Trump não merece segundo mandato. A chave está em saber se os democratas vão ser capazes de mobilizar para as urnas essa maioria anti-Trump que, para já, é só virtual. Em tempos normais, o centrismo experiente de Joe Biden seria a escolha mais avisada. Mas os EUA não vivem tempos normais. Kennedy apontou para a Lua e alimentava o "sonho americano". Obama oferecia a garantia de que ainda era possível acreditar nisso (yes we can). Elizabeth Warren pode não ter ambições tão inspiradoras - mas tem um plano. E esse plano da senadora corajosa e frontal do Massachusetts pode mesmo ser a maior ameaça a Donald Trump.