Candidatura de Fonseca Ferreira de novo rejeitada

A Comissão Federativa de Jurisdição (CFJ) do PS/Guarda voltou a rejeitar a candidatura de Fonseca Ferreira à federação distrital por o militante estar inscrito numa secção de Lisboa e não no distrito onde concorre.

António Fonseca Ferreira disse hoje à agência

"A CFJ mantém os argumentos do parecer de 2008, de Aveiro, mas a minha situação é completamente diferente. [No caso de Aveiro] foi uma transferência [de um candidato à federação] feita fora de prazo e eu não pedi transferência nenhuma para me poder candidatar à federação da Guarda", justificou.

Os pareceres jurídicos que tem na sua posse referem que "não precisava" de fazer a transferência da inscrição para a Guarda para se poder candidatar.

"Não precisava de o fazer e não o fiz. Se eu pertenço à Comissão Nacional e à Comissão Política do PS, por que razão não me posso candidatar a uma federação?", questiona.

Segundo Fonseca Ferreira, aquele órgão decidiu manter o parecer já tomado anteriormente, mas sem unanimidade, explicando que dois dos sete membros que o integram "tiveram uma opinião diferente e fundamentaram-no".

O socialista disse esperar pela decisão da CNJ, mostrando-se "confiante que haja uma interpretação no órgão devido" e que o assunto fique clarificado.

"Espero que a situação se clarifique rapidamente, porque os tempos são de combate político e de necessidade de se avançarem com ideias e projetos para o distrito e não para andarmos enrolados neste processo", disse.

As eleições para a federação e para os delegados ao congresso distrital do PS/Guarda, agendadas para o dia 15 de junho, foram adiadas para data a anunciar, na sequência de uma primeira decisão da CNJ que, por falta de fundamentos, considerou nula a decisão da CFJ que tinha confirmado a não aceitação da candidatura de Fonseca Ferreira.

Entretanto, a candidatura do líder da corrente esquerda socialista e membro da comissão nacional do PS, emitiu um comunicado onde afirma que aguarda "serenamente a decisão da CNJ" e lutará "até ao fim, pela democracia e pela reabilitação do PS, pelo progresso do distrito e o bem-estar" dos conterrâneos.

Fonseca Ferreira garante que levará a candidatura "até ao fim" e que está "de consciência tranquila" e certo de que reúne "todas as condições para ir a votos".

Nas eleições para a federação do PS/Guarda, Fonseca Ferreira tem como adversário o atual dirigente distrital José Albano Marques, que vai candidatar-se a um terceiro mandato.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG