BE quer leis para acabar com poder político subjugado

A coordenadora do BE, Catarina Martins, exige a criação de leis para acabar com um "poder político subjugado aos interesses das finanças", defendendo que "quem fez fortuna à custa do buraco do Banco Espírito Santo (BES)" tem de o pagar.

"No processo do buraco do BES, o problema é que alguém ficou com o que não é seu. Não podem ser os contribuintes a pagar o buraco do BES. Quem tem fortunas feitas à custa de escândalos como estes tem de pagar com as suas fortunas o buraco que causou", defendeu, em declarações aos jornalistas no Porto à margem de uma visita ao Centro de Linguística.

Catarina Martins afirmou ser "preciso recuar ao governo de Maria de Lurdes Pintassilgo para encontrar um que não tenha tido alguém que está também na administração do BES" para pedir o fim de "um poder político subjugado aos interesses das finanças" que "fecha os olhos" aos seus "desmandos".

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG