BE: Passos Coelho repetiu CD do costume

Luís Fazenda, líder da bancada do BE, afirmou hoje que a entrevista do primeiro-ministro foi "uma repetição" do "CD com que tem brindado os portugueses" e que "ninguém acredita nos votos pios" sobre recuperação económica ainda em 2012.

"Esta entrevista foi uma repetição daquilo que têm sido as últimas declarações do primeiro-ministro, ele acabou por lavar as mãos como Pilatos em relação a mais medidas de austeridade este ano, nem sim, nem não, talvez", disse Luís Fazenda.

O líder do grupo parlamentar do BE falava aos jornalistas no Parlamento, num comentário à entrevista do primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, à TVI.

Fazenda apontou uma "contradição" a Passos e acusou-o de deixar "o mistério e a incógnita sempre a vaguear" sobre eventuais novas medidas de austeridade.

"Afirmando contraditoriamente que Portugal tem potencial para pagar a dívida e garantir alguma recuperação economia, não descartou um plano 'b'", referiu.

O bloquista considerou ainda que Passos "não falou daquilo que os portugueses mais estão a falar", como "o contrato do BPN que vai ser assinado, a facilitação dos despedimentos, o estrangulamento do Serviço Nacional de Saúde, da escola pública, as dificuldades orçamentais para o próximo ano" ou "a política europeia, que não se resume apenas à 'regra de ouro' e à discussão passa-culpas entre o Governo e o PS".

Além disso, Luís Fazenda referiu também que "numa circunstância tão grave de pressão económica em toda a Europa", "ninguém acreditará nos votos pios de sinais de recuperação ainda este ano e de recuperação no próximo ano".

"Portanto, é um futuro embargado, é um futuro na dúvida, o primeiro-ministro não adiantou nada de substancial àquilo que tem sido o CD [disco compacto] com que permanentemente tem brindado os portugueses", resumiu.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG