BE lamenta resultado "desgraçadamente curto" da cimeira

A deputada do Bloco de Esquerda Ana Drago considerou "desgraçadamente curto" o alcance das conclusões da cimeira europeia face às "incertezas" vividas na zona euro e defendeu que mais austeridade levará a uma "situação explosiva".

"Foi tudo desgraçadamente curto para as incertezas que se estão a viver na zona euro. A conclusão da reestruturação da zona euro não está feita e não está concluído o reforço do fundo de estabilização", afirmou Ana Drago à Lusa.

Por outro lado, o BE manifestou "muita preocupação" pela forma como foi pedida "mais austeridade que colocará Portugal no caminho da Grécia, com uma situação explosiva provocada por austeridade em cima de austeridade".

Os líderes europeus e da zona euro chegaram esta madrugada, ao fim de uma maratona negocial de quase dez horas, a um novo plano para reduzir a dívida grega e atribuir a Atenas um novo plano de resgate, prevendo que a banca aceite perdas de 50 por cento nos investimentos na dívida soberana da Grécia.

A declaração final da cimeira elogiou também o esforço de Portugal e da Irlanda no cumprimento dos programas de ajustamento ao abrigo da ajuda externa, e "convida os dois países a manter os seus esforços, a manterem-se comprometidos com as metas acordadas e estarem dispostos a tomar quaisquer medidas adicionais necessárias para atingir essas metas"."

O BE defende a reestruturação da dívida dos países que foram intervencionados e um debate sobre o "papel do Banco Central Europeu", a quem reconhecem um "papel importante na compra de divida no mercado secundário".

"Deve ser feita uma reflexão séria sobre se o BCE não deverá comprar dívida no mercado primário, como forma de estancar esta sangria nos mercados", afirmou, reiterando igualmente a defesa das obrigações europeias, as chamadas "eurobonds".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG