BE em uníssono nas críticas a Hugo Soares

Catarina Martins, Cecília Honório e Adelino Mota, líder da distrital de Braga, falam em "jotinha retrógrado", "fantoche que deu a cara pelo referendo à coadoção", "ajuste de contas no PSD" e "direita reacionária".

O primeiro dia das jornadas parlamentares do BE terminou com três intervenções políticas muito duras em relação à proposta de referendo apresentada pelo líder da JSD e deputado do PSD Hugo Soares. A coordenadora do BE, Catarina Martins, lamentou a postura do jovem social-democrata que diz ser própria de "uma direita reacionária que quer avançar apagando as lutas por direitos e liberdades", fazendo mesmo uma metáfora entre o processo e a estátua que foi erguida em Braga ao Cónego Melo.

Por sua vez, a deputada Cecília Honório vincou que o projeto de resolução - "uma proposta sinistra" - não foi mais do que um "ajuste de contas entre fações do PSD", "fazendo o jeito aos mais reacionários" do partido.

Mais incisivo foi Adelino Mota, líder da distrital de Braga, que apelidou o deputado social-democrata, eleito por aquele círculo eleitoral, como "um fantoche" que deu a cara pela iniciativa e um "jotinha retrógrado", que teve "o seu momento de glória aos piscar os olhos aos sectores mais conservadores de uma Igreja que tem andado de candeias às avessas com o Governo".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG