BE denuncia "défice escondido com milhões de fora"

O Bloco de Esquerda (BE) denunciou hoje o "défice escondido com milhões de fora" apresentado pela Direção-Geral do Orçamento (DGO), dizendo que o "saque fiscal" aos portugueses não chega para "melhorar as contas do Estado".

"Há um saque fiscal que não chegou para melhorar as contas do estado face a 2012", declarou o líder parlamentar do Bloco, Pedro Filipe Soares, na reação aos números da economia portuguesa hoje revelados pela DGO.

O bloquista, que falava no parlamento, declarou que o "défice verdadeiro" é superior a 5,4 mil milhões de euros, ao passo que o "contabilizado para a troika é de cerca de 4,4 mil milhões de euros", questionando as escolhas feitas para a alteração de contas junto dos credores de Portugal.

"Para o que interessa à "troika' as contas podem ser alteradas: se assim é porque não se fazem outras escolhas?", interrogou, dando como exemplo o "pagamento de subsídios de desemprego, salários, pensões" como elementos que se poderiam retirar das contas do défice.

O limite do défice orçamental em contabilidade pública imposto pela 'troika' para o terceiro trimestre, 7.300 milhões de euros, foi cumprido com um saldo negativo de 4.335,7 milhões de euros, anunciou hoje a DGO.

"O défice provisório das administrações públicas, relevante para efeitos de aferição do cumprimento do Programa de Ajustamento Económico e Financeiro, ascendeu a 4.335,7 milhões de euros até ao terceiro trimestre, inferior à respetiva meta trimestral", escreve a DGO.

Em agosto, o défice contabilizado de acordo com as regras da 'troika' chegou aos 4.794,8 milhões de euros, mais 459,1 milhões de euros que o registado agora no final de setembro.

De acordo com a síntese de execução orçamental para os primeiros 9 meses do ano, o défice em contabilidade pública (fluxos de caixa) sem os ajustamentos da 'troika' é de 5.428,9 milhões de euros.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG