Austeridade obriga a 10 de Junho com "parcimónia"

O ministro da Defesa, José Pedro Aguiar-Branco, a afirmou que o 10 de Junho vai ser comemorado com "a parcimónia que o ano de austeridade obriga", mas que "todos os portugueses se reveem na unidade" que o dia simboliza.

"É um dia importante, celebrado com a parcimónia que o ano de austeridade obriga (...). Um dia em que todos os portugueses se reveem na unidade, seguramente este ano também", declarou ontem aos jornalistas José Pedro Aguiar-Branco, à margem da visita à exposição "Demonstrações Militares", no Parque Eduardo VII, em Lisboa, patente até domingo.

Questionado sobre se receia que o clima de insatisfação entre os militares possa ensombrar a celebração, no domingo, do Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas, o ministro desdramatizou, referindo que não vê "nenhum motivo especial para focalizar os militares, por comparação com outros sectores da sociedade".

A exposição mostra equipamentos militares, como um avião F-16 e uma viatura Pandur II (8x8).

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG