Assunção Esteves recebeu José Manuel Coelho

O presidente do PTP-Madeira, José Manuel Coelho, foi hoje recebido pela presidente da Assembleia da República, Assunção Esteves, a quem pediu a "solidariedade institucional" do Parlamento português perante o "grave atropelo às liberdades democráticas" dos deputados madeirenses.

"Surpreendentemente fomos recebidos pela senhora presidente da Assembleia da República, a segunda figura do Estado português", disse José Manuel Coelho à Lusa e ao Diário de Notícias da Madeira, à saída do encontro com Assunção Esteves.

José Manuel Coelho tinha estado a assistir ao debate do Estado da Nação nas galerias da Assembleia da República.

O deputado regional madeirense disse que foi Assunção Esteves quem se disponibilizou a recebê-lo, sem que a audiência tivesse sido pedida.

"Foi isso que me surpreendeu", afirmou.

"Transmitimos as nossas preocupações e mostrámos que a Assembleia da República não se pode eximir de dar a sua solidariedade institucional perante o grave atropelo às liberdades democráticas e às imunidades que os deputados têm [na Madeira]", relatou.

José Manuel Coelho afirmou saber que se tratam de órgãos distintos e autónomos, mas reiterou que "a Assembleia da República pode dar a sua solidariedade institucional para que não se repitam situações deste tipo", numa referência aos acontecimentos de dia 4 de julho, em que foi expulso pela polícia de uma cerimónia oficial.

"A senhora presidente solidarizou-se connosco e disse que foi uma atitude muito radical da parte do parlamento da Madeira, do presidente do parlamento da Madeira, e pensa que aquilo não se pode repetir, porque acha que aquilo é mau para a democracia, que não podemos ser alvo daquele tipo de atitude por parte da polícia, porque somos eleitos pelo povo", afirmou.

O deputado madeirense lamentou não ter sido recebido pelo Presidente da República e que os serviços da Casa Civil da Presidência não tenham inclusivamente respondido ao pedido de audiência.

José Manuel Coelho tem vindo a protestar e queixar-se em diversas instâncias contra a atitude do presidente da Assembleia Legislativa da Madeira, por lhe ter sido vedado o acesso à palavra no dia da Região Autónoma da Madeira e das Comunidades Madeirenses celebrado no dia 4 de julho no concelho de São Vicente.

A meio da cerimónia, José Manuel Coelho levantou-se por entre a ala de convidados e protestou pelo facto de os partidos políticos não poderem usar da palavra na cerimónia evocativa promovida pela Assembleia Legislativa.

Depois dirigiu-se para o lugar da tribuna e continuou os seus protestos, altura em que o presidente da Assembleia Legislativa, Miguel Mendonça, solicitou a intervenção de elementos da PSP, que pegaram no deputado e o expulsaram da cerimónia.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG