"Às vezes falava-se dos chamados 'doutores da mula ruça'"

O secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, recusou hoje comentar o caso do processo de licenciatura do ministro Miguel Relvas, limitando-se a afirmar que "canudos há muitos" e a lembrar uma expressão antiga.

"É um episódio, enfim... Regressando às minhas origens, às vezes falava-se, mesmo antes do 25 de Abril, dos chamados 'doutores da mula ruça'. É um episódio que não merece mais comentário do que este. Canudos há muitos, é um episódio e eu queria ficar só por este comentário", afirmou Jerónimo de Sousa, depois de questionado sobre se o ministro Adjunto e dos Assuntos Parlamentares deveria esclarecer o processo de obtenção da sua licenciatura.

Segundo diversas notícias publicadas na imprensa, Miguel Relvas obteve uma licenciatura de Ciência Política e Relações Internacionais em apenas um ano na Universidade Lusófona.

O ministro, segundo as mesmas notícias, entrou na Lusófona em 2006, quase dois anos depois de ter sido secretário de Estado da Administração Local no Governo de Durão Barroso, tendo-lhe sido conferido o diploma em 2007, de acordo com o Processo de Bolonha.

O ministro Adjunto e dos Assuntos Parlamentares explicou que o processo de conclusão da sua licenciatura foi "encurtado por equivalências reconhecidas e homologadas pelo Conselho Científico da referida Universidade em virtude da análise curricular a que precedeu previamente".

Também a Universidade Lusófona negou, na quarta-feira, qualquer irregularidade, garantindo que o ministro obteve o seu grau académico tal como centenas de outros alunos desde a aplicação do Processo de Bolonha.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG